Ir para conteúdo

Blogs

Blogs da nossa Comunidade

  1. djsync
    Última Publicação

    PlayStation 4, oficialmente abreviado como (PS4) é uma  vídeo-game produzido pela Sony Interactive Entertainment, sucessor do PlayStation 3 e o quarto como parte da série PlayStation.

    Foi anunciado em Fevereiro de 2013 durante uma conferência de imprensa da Sony em Nova Iorque, num evento conhecido como "PlayStation Meeting 2013" que tinha como objectivo descobrir "O Futuro da PlayStation". Foi lançada na América do Norte a 15 de Novembro de 2013, na Europa e América do Sul a 29 de Novembro de 2013 e no Japão a 22 de Fevereiro de 2014.

    O PlayStation 4 é o primeiro console da Sony a ser oficialmente e legalmente editado na China desde a PlayStation 2, depois do levantamento da proibição que durou 14 anos.

    O PlayStation 4 compete diretamente com a Wii U da Nintendo e com a Xbox One da Microsoft, como um dos consoles da oitava geração.

    Vamos ao que interessa.
     

    Passo 1

    O que acontece dentro dos eletrônicos de consumo não deve ser um mistério incompreensível (nem não reparável).

    Dito isto, devemos admitir que o PS4 é uma caixa preta de boa aparência.

    Sete anos de inovação em design trazem ao PS4 um corpo nitidamente mais geométrico, uma barra de luz indicadora e uma legenda de logotipo mais sutil do que da última vez.

    Nós também encontramos:

    Unidade de disco Blu-ray / DVD com carregamento por slot

    Duas portas USB 3.0 energizadas

    Boa impressão divulgando as opções do PlayStation - HDMI, DTS, Dolby e Blu-ray

    dDYvvDDxMMI6pcFk.jpg2GtNJKunKpfBCr5L.jpg6qQePRkRYC6l15St.jpg
    Passo 2

    Entrada de energia

    Saída de áudio digital óptica

    HDMI

    Ethernet

    Porta auxiliar proprietária para conectar dispositivos externos, como a câmera PlayStation

    qeakmctfy4ShpR5X.jpg

    Os relatos têm aparecido na internet sobre algum mau funcionamento do PlayStation 4s.

    Um desses problemas de hardware, como notado pelo Kotaku , impede que o PS4 envie um sinal de vídeo para o monitor.

    De acordo com Kotaku, parece que um "pedaço de metal na porta HDMI do sistema deveria estar nivelado com a parte inferior da porta, mas que foi dobrado para cima, obstruindo alguns dos pinos da porta".

    Este "pedaço de metal obstruindo ... tinha realmente derrubado alguns dos 'dentes' fora do fio de HDMI - aquele empacotado com aquele PS4."

    TL; DR - Se o seu PS4 estiver com problemas na saída de vídeo, verifique se a porta HDMI não está torta ou danificada.

    j6mxYK2OPPMoL1K1.jpg

     

    Passo 3

    Estamos felizes em ver a Sony dar poder às pessoas para substituí o hd interno.

    Teremos um guia detalhado em breve para aqueles intrépidos jogadores que gostam de um drive maior ou de um SSD zippy - mas por enquanto, fique tranquilo sabendo que tudo o que fica entre você e o disco rígido é uma tampa de plástico e alguns parafusos.

    ShpNN1Je64kC1LWr.jpgjn5eFijgSZ6aDeBk.jpgGJTFSYCusv5nVEVF.jpg

     

    Vem com um disco rígido mecânico 5400 RPM, 500 GB, SATA II, fornecido pela HGST (uma subsidiária da Western Digital).

    Com apenas um único parafuso de fixação do caddy, substituir está unidade é fácil.

    Este disco rígido não é apenas substituível pelo usuário, mas é um drive SATA padrão de 2.5 "(também conhecido como laptop), o que significa que você pode substituir ou atualizar seu armazenamento com qualquer unidade de prateleira que desejar, desde que atenda a esses requisitos. padrões : não mais grosso que 9,5 mm e não menor que 160 GB Usuários se alegram!

    Mas esta é uma vitória de expansão agridoce; o PS4 não suportará armazenamento USB externo, limitando drasticamente a utilidade do console como um media center.

     

    DBkK3lT6WVZ2eSr2.jpgDASSmsMFOiHPgOlO.jpgKvbIrZbFaW6WvTLJ.jpg


    Passo 4
    Removemos alguns adesivos. Não prestando atenção às mensagens ameaçadoras contra o reparo, nós rapidamente as descartamos com a ajuda de nossas fiéis pinças ...

    … Apenas para ser confrontado com alguns parafusos Torx de Segurança levemente desonestos.

    Para nossa sorte, os parafusos especializados não são nada, já que usamos nosso Pro Tech Screwdriver Set .

    Enquanto estamos felizes que isso não é um stick-up (do tipo de adesivo), este mal não vai passar despercebido quando chega a hora de atribuir uma pontuação de reparabilidade.

    EnUCHJSuO5DvaBPs.jpgQSupfjaESsewPNMH.jpgVXCKM1MobZZoHO2A.jpg

     

     E remova os quatro parafusos T9 Security Torx, permitindo-nos abrir o capô no modelo de quarta geração do PlayStation da Sony. Nossos olhos se arregalam enquanto esperamos pela primeira vez o que faz essa beleza ronronar.

    E, no entanto, não estamos vendo nada além de sentimentos de nostalgia. Basta ver como as coisas mudaram .

    rU1DCegLBbg4Bnnh.jpgMLISlkYrsDpWbBVv.jpgeemlkbkOUMiNFQbX.jpg

     

    Passo 5

    O nosso engenheiro de desmontagem desenrosca alguns suportes de retenção bacanas…

    … Enquanto saboreia um lanche muito merecido e distintamente canadense com nossos amigos da Chipworks .

    FymvaCYYRTO6mU2O.jpgK3OJ1apPMABkXiJE.jpgkvQaFZHy3RePiCSR.jpg

     

    Passo 6

    Voltamos nossa atenção para liberar a fonte de alimentação.

    Nenhum tijolo para tropeçar em seu cabo de energia - esta fonte de alimentação ainda estáaninhada dentro do gabinete.

    A fonte de alimentação é classificada em uma entrada CA de 100-240 volts. Isso significa que você pode levar seu jogo ao redor do mundo com seu confiável PS4 sempre ao seu lado; lembre-se de trazer seus adaptadores de tomada de energia.

    aDjJIaR6Gea2fYR6.jpgDHTtxDHkY33OcKB1.jpgCrZGVokwHP1E3OiU.jpg

     

    Você ainda não escapou desta desmontagem, fonte de alimentação. Hora de divulgar seus segredos suculentos.

    Livrar o fornecimento de energia de sua caixa revela exatamente o que esperávamos: grandes capacitores, nenhum dos quais gerou o fluxo que estávamos procurando.

    Parece que esta fonte de alimentação está apenas avançando no tempo. (suspiro)

    Agora que a fonte de alimentação foi removida, você pode finalmente limpar seu ventilador.

    Ter uma fonte de alimentação interna significa que o PS4 precisará manter sua refrigeração - fazendo com que o ventilador limpe a manutenção importante.

    ZG5VFlxoEwME6kZN.jpgRflXsyLMUJGDSOdV.jpgSCDSNdMQPSUOJefk.jpg

    Passo 7

    A unidade de Blu-ray / DVD é o nosso próximo alvo, mantido por alguns parafusos.

    Infelizmente, o PS4 não é compatível com os jogos PS3, PS2 ou PS1. Esta unidade pode girar seus discos antigos , mas não irá reproduzi-los.

    Estranhamente, ele também não reproduz CDs de música, embora isso pareça ser uma mera limitação de software que a Sony planeja corrigir em uma atualização posterior.

    Mas quem precisa mais de uma unidade óptica, agora que aproveitamos o poder da nuvem?

    Sendo esse o caso, a Sony planeja lançar um serviço de streaming de jogos em 2014 com tecnologia Gaikai , que permitirá que você jogue jogos PS3 em um PS4. Todo o processamento será feito "na nuvem" pelos servidores da Sony, com apenas o vídeo transmitido para o seu console real.

    PZAftggR6IfwqUfD.jpg

    Passo 8

    Esta é a história de uma unidade óptica e sua prancha ... Junte-se a eles em uma jornada de descoberta, para descobrir exatamente do que são feitos.

    Encontramos alguns ICs na placa da unidade óptica:

    Renesas SCEI RJ832841FP1

    Mitsumi 312 3536A

    ROHM BD7763EFV 325 T62 Motor Driver IC

    STM8ED 9H A07 VG MYS 331Z

    nIaThh11MmBlaEYC.jpgRZf5oEKTbNOZxGBb.jpgNoJxORyCDbBWY3LG.jpg

    Passo 8
    Em uma corrida pela placa-mãe, removemos alguns dos parafusos que prendem o corpo do PS4.

    Estamos descascando painéis como se estivéssemos remodelando uma toca vintage dos anos 1960.

    Estamos tão perto; nós quase podemos provar as batatas fritas (secretamente, nós esperamos que elas sejam do tipo Fully Loaded Baked Potato ).

    Em breve, placa-mãe, em breve .

    fjMXjFcNxKUrMZyw.jpgQNiYHZDGJLBnKhrN.jpgV4wPjH1NNwTlSrKY.jpg

     

    Passo 9

    Finalmente, conseguimos abrir essa gloriosa pasta de inteligência e retirar nosso tesouro.

    Ao contrário das placas-mãe que vemos em dispositivos portáteis cada vez mais emagrecidos, a placa-mãe da PS4 ostenta planícies verdes e onduladas de fibra de vidro.

    2rYZeI4ONmVn5cNx.jpgXKeGBPv5ZGl4GWSB.jpg

     

    Campos de ICs frescos maduros para a colheita! 😂 KKKKK

    SCEI (Sony Computer Entertainment, Inc.)

    CXD90026G SoC (inclui núcleos AMD "Jaguar" e GPU AMD Radeon)

    Samsung K4G41325FC-HC03 4 Gb (512 MB) GDDR5 RAM (total de 8 x 512 MB = 4 GB)

    SCEI CXD90025G Secundário / baixo consumo de energia para tarefas de rede

    SDRAM DDR3 de 2 Gb SamsungK4B2G1646E-BCK0

    Memória flash serial MacronixMX25L25635FMI 256Mb

    Controlador Ethernet Marvell 88EC060-NN82

    SCEI 1327KM44S

     

    QiyYGcB2mVAtCcxy.jpgSCPsCldBOOwqQvOq.jpg

     

    Passo 10

    Eles dizem que os CIs são sempre mais verdes do outro lado... 😄

    Controlador de Hub Genesys Logic GL3520USB 3.0

    Samsung K4G41325FC-HC03 4 Gb (512 MB) GDDR5 RAM (total de 8 x 512 MB = 4 GB)

    Retificador Internacional 35858 N326P IC2X

    Memória Flash Serial Macronix 25L1006ECMOS

    39A207 1328 E1 3FU

    S5Unor5g5uVSO6HM.jpgIpKRBBRMapDDjtZ6.jpg

     

    Passo 11
    O que é isso atrás da porta número um, você pergunta?

    Panasonic MN86471A LSI de comunicação HDMI

    E a porta número dois?

    Avastar Sem Fio Marvell 88W8797 7 SoCIntegrado 2x2 WLAN / Bluetooth / FM SoC

    Skyworks 2614B 315BB

    Essas imagens são cortesia da Chipworks.Obrigado rapazes!

    HEwTruVdhAuXZiHr.jpgF2LqrQa2vy52jNsX.jpg

     

     

    Passo 12

    O case está começando a parecer escasso à medida que evacuamos a blindagem EMI.

    Determinado a permanecer conectado, o dissipador de calor se agarrava à blindagem da EMI por sua vida😹. Não desmoronaria.

    Acredite em nós. Nós tentamos. Ele lutou de volta.

    Os band-aids não oferecem as mais bonitas fotos de desmontagem, mas usamos nossas cicatrizes de conserto com orgulho!

    Nosso honorável mártir da destruição comentou: "Este escudo da EMI é ótimo, como no ralador de queijo".

    bcJDxQBuMrRqfBpR.jpgpdkUusOIgotjVmCZ.jpggkYOYTrmmUlmHBRq.jpg

     

    Passo 13

    Finalmente, o maior fã do PS4!

    Ok, sim, isso foi um trocadilho ruim. Mas é um grande fã. Olhe para essas curvas.

    A beleza é uma coisa, mas esta ventoinha também tem uma função: ela é projetada para funcionar de forma mais inteligente e silenciosa do que o velho moinho de vento ofegante da PS3, aumentando e diminuindo gradualmente para manter baixa a contagem de decibéis.

    vqpwEcfXPpa1em3V.jpgf6GbsOawu2RsAqFi.jpgMRddJt16qFZiugZH.jpg

     

    finalmente concluído.

    XFBZ2fmEW3PVPOtb.jpgY1cIvgG3uIhTQsYN.jpg

     

    É isso pessoal, espero que vocês tenham curtido a desmontagem do PS4.

    Espero trazer outras desmontagens.

     

    Tradução: DjSync e Google ^^.

     

    Fonte: ifixit
     

    • 2
      Publicações
    • 27
      Comentários
    • 415
      Visualizações

    Artigos Recentes

         Então pessoal, dia desses olhando as postagens no fórum me deparei com alguém querendo uma fonte chaveada de tensão maior, gastando pouco, como no passado eu já tinha modificado algumas atx para uso próprio,

    estou compartilhando com vocês o procedimento que funciona maravilhosamente bem para este modelo de fonte e para vários outros modelos que utilizam os mesmos CIs ( KA7500 LM339 ).

    Optei por este modelo específico da Duex pois tinha em mãos algumas peças, é uma receitinha de bolo que se seguida a risca traz ótimos resultados e é super simples de executar.

     

    Aviso: O primário das fontes ATX trabalha com a tensão da rede e pode te matar, então se não tem ideia do que está fazendo, não faça nada, peça logo ajuda de alguém que sabe!

    Este conteúdo é direcionado exclusivamente para técnicos, apesar de ser receita de bolo. ;D 

     

    A estratégia é modificar o divisor resistivo conectado ao pino 1 do KA7500 que é um substituto pino a pino do TL494, ( inclusive um CI melhor do que o TL494 na minha opinião ), pois é ali que o controle das tensões é feito.

    Para que identifiquem a fonte alvo da modificação, abaixo segue duas fotos:

    IMG_20171214_140933548.jpg

    Esta acima é a lata da dita cuja.

    IMG_20171211_135829995.jpg

    Olhando no canto inferior direito é possível ler: ATX12V-03E rev: 2.1

     

    E sem mais delongas vamos ao que interessa...

     

    IMG_20171211_135849400.jpg

    Marquei as áreas interessantes com retângulos vermelhos para facilitar a identificação.

    1 - Antes de mais nada certifique-se de que a fonte a ser modificada está funcionando corretamente.

    2 - A segunda coisa a fazer é substituir todos os capacitores do secundário por novos de tensão apropriada. Os que forem de 10V substitua por 25V, os que forem de 16V substitua por 35V, sempre mantendo a mesma capacitância ou aumentando pouca coisa.

    3 - Substitua o resistor que fica entre o R45 e o jumper por um igual ao da foto: 2.2K.

    4 - Remova os resistores R29 e R36.

    5 - Remova da placa o zener 12V ZD3 que ficava originalmente onde agora está o trimpot de 20k e o resistor ao seu lado, R15 se bem me lembro, o retângulo acima do trimpot mostra um bloco semelhante ao que havia no local onde agora temos o trimpot.

    6 - Coloque o trimpot substituindo o resistor ao lado de ZD3 que tem marcação R15 se não estou enganado, pino 1 para cima e pinos 2 e 3 ligados juntos na parte de baixo, como na parte de baixo ZD3 e R15 são ligados a mesma trilha eu usei o furo da parte de baixo do ZD3 para ligar o pino 2 ou 3 do trimpot, não lembro, e não faz diferença. Caso optem por utilizar um potenciômetro comum linear de 20k, interliguem os pinos 2 e 3 e levem apenas dois fios para substituir R15 um partindo do pino 1 e outro do pino 2.

    7 - A ventoinha original da fonte era ligada na saída fixa de 12V que agora tem tensão variável, essa ventoinha tem no mínimo duas funções no circuito, arrefecer a fonte, e atuar como carga mínima na linha que era originalmente de 12V, então vais ter que bolar alguma coisa pra resolver isso, aqui como a ideia era fixar um valor de tensão maior eu optei por usar um LM7812 com dissipador de calor próprio e bem pequeno, instalei no mesmo local onde vocês vêem saindo da fonte a esquerda do trimpot os fios da ventoinha, o pino 1 vai no lugar do fio vermelho, o pino 2 no lugar do fio preto, e o pino 3 fica acima da placa, soldei o fio vermelho da ventoinha no pino 3 acima da placa, e o preto no terra do conector fan2 que obviamente não vem na placa.

    Essas ventoinhas costumam funcionar mesmo com tensões bem abaixo de 12V, então tudo o que fiz com o LM7812 foi criar um limite de no máximo 12V, em tensões mais baixas ela arrefece menos o conjunto, o que não chega a ser um problema pois mesmo no limite da fonte que é 12A usando a tensão mínima de 4.82V o consumo em watts é bem menor 4.82V * 12.03A = 57.98W então por mais que a ventoinha produza menos vento o arrefecimento ainda é adequado.

    8 - Confira se não deixou nada em curto, e se não esqueceu de nada. Confira se substituiu absolutamente todos os capacitores de valor abaixo de 50v no secundário da fonte neste modelo de fonte são 6, se estiver tudo ok interligue o "PS ON" com o Terra para testar. ( fio verde com fio preto)

     

    Se todas as etapas foram executadas conforme o pequeno tutorial você deve ter uma boa fonte chaveada regulada, com tensão variável entre 4.82V e  24.8V, e proteção contra curto circuito.

    O legal dessa bagaça é que se você optar por colocar um mostrador de tensão e corrente da pra alimentar o mostrador com o +5VSB da fonte que usa um trafo independente das linhas de 5v 3.3v e 12v da fonte, e fica sempre ajustado em 5.14V.

    O máximo que a fonte consegue fornecer é uns 220W, em 18.5 * 12A para tensões acima de 18.5V o limite máximo de corrente é um pouco menor no entanto não lembro exatamente quão menor.

    A tensão mínima na linha de 12V em torno de 4.8V foi escolhida propositadamente para manter a ventoinha em funcionamento, poderia ser de até 2.5V modificando o valor do resistor ao lado de R45 ( esse não vem na placa ) mas a fonte não parece gostar muito de trabalhar abaixo dessa tensão, produz um chiado desagradável em algumas situações que achei melhor evitar também hehehe.

    Quando a linha de 12V está setada no limite máximo de 24.8V, a linha de 5V fica em 10.6V e a linha de 3.3V fica em 8.7V.

    Quando a linha de 12V está em 4.8V, a linha de 5v fica em 2.1V e a linha de 3.3V em 1.67V.

    A linha de -12V varia de acordo com o +12V, com uma queda de aproximadamente 0.8V em relação ao 12V. Ex ( +12.8V  -12V, / +12V -11.2, etc)

    Na linha de 5V o consumo máximo marcado na etiqueta é 18A e eu não cheguei a testar as outras saídas além da linha de 12V com cargas maiores do que 2A que na época era o que tinha em mãos.

    O legal é que da pra trabalhar com as diferentes saídas para diferentes necessidades de tensões...

    Testei a proteção contra curto na saída de 12V apenas, e como esperado ela desligou protegendo a fonte.

     

    A minha assimétrica foi montada com duas dessas ai configuradas para 16.25V cada, o 12V da primeira entra no GND da segunda totalizando 32.5V entre o GND da primeira e a linha de 12V da segunda, e uma DPS 3012 comprada da china, ela lida bem com a tensão de 30v e com a corrente de 12A, cumpre o que promete. 30V * 12A = 360W. Ficou parruda a danada. ;D 

    Detalhe importantíssimo, para interligar duas fontes ATX assim como fiz, é necessário isolar a segunda fonte que recebe o 12V no local onde saem os fios pretos, do terra, caso contrário você obterá um curto circuito ao invés de uma saída com tensão maior huaeuhaeuhae.

    Na minha fonte optei por isolar as duas e aterrar apenas a saída de tensão da DPS 3012, o que produz o mesmo efeito final.

     

    Existem vários outros modelos de fontes baseados nos mesmos chips, e alguns até na mesma placa, e alguns com mais potência de saída que usam transistores 13009 no primário ao invés dos 13007 que tenho nestas aqui, se alguém souber algum outro modelo e quiser deixar nos comentários provavelmente vai ajudar algum colega que queira fazer a modificação. 

     

    Espero que tenham gostado da leitura, e quem fizer a modificação, ou modificar mais alguma coisa na fonte, deixe um comentário pra gente aí. 

    Abraços.

  2. 18356429-Hombre-joven-barbudo-fingiendo-

     

     

    Calma ! Nao é bem assim !


      Estamos levando uma surra das placas, os números nao estao ao nosso favor e como esta vida é mesmo uma merda, ainda vamos bater de frente com aquele nosso colega que sempre vem feliz dizendo : 

     

    "Hoje consertei 4 notebooks, 2 tablets e ainda de quebra instalei 1 windows !"

     

    Por muito tempo, este tipo de comentário normalmente me dava vontade de me enforcar com a ponta de prova do meu osciloscopio !  Mas nem tudo o que brilha é ouro, portanto analizemos o caso.


    Nestes anos conheci técnicos do mundo todo e a imensa maioria do que conseguem realizar uma grande quantidade de consertos por dia tem 2 grandes segredos.

    1 - Ter um grande fluxo de trabalho  -  Ao menos algumas dezenas de equipamentos por SEMANA !
    2 - Se concentrar no mais fácil.

     

      Normalmente esse nosso amigo tem como trabalho mais demorado da sua assistencia o servico de BGA, muitos inclusive nem fazem reballing e partem direto para a troca dos chips. Unindo uma grande quantidade de trabalho (jacks, dobradicas, BIOS, conectores e botoes de tablets e celulares, etc) com um filtro potente que serve para deixar de lado uma boa quantidade de maquinas, o nosso amigo também esta levando uma surra !  Se ele ganha mais do que voce é porque ele tem uma quantidade de servicos bem maior.

     

    Portanto.......

    Solucao 1:  Ter um grande fluxo de trabalho !

    Ter um grande fluxo de trabalho é o melhor que pode nos acontecer ! Com isso poderiamos investir muito mais tempo em consertos simples e no final das 8 horas de trabalho teriamos muito servico adiantado e um bom dinheiro para receber.

    Mas este tipo de organizacao também ocasiona uma grande quantidade de maquinas que nao sao consertadas.  Afinal, pra que perder tempo com aquela porcaria se posso fazer 5 bobeirinhas nesse tempo e ganhar o dobro ?  Que se dane !

    "Zé !!! Passa orcamento de troca de placa pra muie !"


     

    Citar

     

    Se voce conseguir gerar um grande fluxo de trabalho, pode parar de ler por aqui ! Certamente voce pode se dar ao luxo de viver bem realizando servicos faceis e ganhando bastante bem para isso. Homem vs maquina nao é para voce ! 

    Caso voce ame a eletronica e queira dedicar parte do seu tempo a consertar os pepinos (SEM NECESIDADE DISSO), continue lendo, porém jamais vai sentir a pressao que quem esta do outro lado sente.

     

     


    E o que acontece com aquela tonelada de maquinas com orcamento rejeitado  ?  Vai parar na mao daqueles que nao conseguem receber algumas dezenas de maquinas por semana, ou seja NOS !  A grande maioria se encontra nessa faixa e normalmente nos sentimos assim,  tipo... Os otários da eletronica !

     

    É... porque normalmente é assim !  Quem tem muito fluxo dispensa os pepinos, dai o cliente que poderia ter vindo com a gente primeiro, vai no nosso "colega" e depois quando sente que a pemba tá entrando, pega o equipamento, leva para a nossa assistencia e comeca com aquela porra daquele roteiro de sempre.....

     

    " Ve de dar uma prioridade nesse equipamento que eu uso para trabalhar e tenho urgencia !"

    "E nada de troca de placa ! Que se for pra trocar placa vou amanha e compro um novo em 1.529 parcelas sem juros ! "
    " E ve ai direitinho quanto que fica, porque em outra assistencia já me falaram que consertam a troco de 2 bananadas e uma playboy dos 90, só nao deixei lá porque o cara demorava uma semana ! "


    uO3-q-XFMAlNzvI34jHDoBbzRiyUdRZS55Pbyd5y

     

     

    Mas fazer o que ? A vida as vezes é uma porra mesmo !

     

    Se nao temos o maldito fluxo de equipamentos, obviamente nao podemos nos dar o luxo de filtrar os nossos maravilhosos clientes como o que acabou de chegar com o relato acima. O tempo é curto e as placas estao nos metendo a porrada, vamos tentar achar outra solucao !

  3. Dividida em várias etapas, a produção de um smartphone consiste em muito mais que simplesmente idealizá-lo e montá-lo. Conheça este processo:
    07163043946427.jpg
     

    Desde o primeiro iPhone, há pouco mais de 10 anos, os smartphones evoluíram bastante, tanto em mercado quanto em tecnologia – conforme os modelos ficaram mais sofisticados e suas principais novidades ficaram mais acessíveis, estes aparelhinhos tomaram o mundo e, desde 2011, este mercado gera mais vendas e lucros que o mercado de computadores. Quem diria, hein?

    Mas será que você sabe como são feitos os smartphones?

    Caso a sua resposta seja ‘não‘, fica tranquilo que a gente explica (de uma maneira fácil de entender) todo o trabalho envolvido em criar um produto do zero e levar ele até as lojas para você. Olha só:

    Pesquisa e desenvolvimento
    vaza-mais-imagens-do-samsung-galaxy-s8-noticias-de-smartphones.png

    Pouca gente lembra desta parte, mas a principal fase na produção de um smartphone é a pesquisa e o desenvolvimentodo mesmo. A fabricante precisa idealizar o produto com base no seu preço de venda e custo de produção.

    É justamente neste momento que a companhia decidirá como lucrará com determinado lançamento depois que todas as despesas com a produção dele forem pagas.

    Por isso, o custo de produção não envolve apenas o custo de montagem e dos componentes em si. Todo o dinheiro investido no projeto e no que vem após o lançamento (marketing, distribuição e infraestrutura), precisam estar no orçamento e serem cobertos pelo retorno financeiro estimado.
    100111_iSuppli_nexus_one_teardown1.jpg

     

    É nos centros de design que boa parte dos aparelhos são projetados

    Um caso curioso é o da Xiaomi. A fabricante afirma que consegue entregar preços tão baixos porque inverte a lógica habitual das concorrentes. Enquanto uma concorrente infla os preços no início das vendas para pagar as custas do projeto, a Xiaomi paga o desenvolvimento com a queda do custo de produção, que ocorre meses depois.

    Em contrapartida, os preços da Xiaomi costumam cair menos de tempos em tempos.

    Parceiras
    Samsung-Galaxy-S8-Processor-Details_opt.jpg
     

    Nem todos os componentes são produzidos pela mesma fabricante, sabia?

    No caso de um topo de linha, que costuma embarcar sensores e hardware mais sofisticados, normalmente é preciso estabelecer contratos com fornecedores para que tudo esteja pronto até o início da produção.

    Em outras palavras, é aí que Qualcomm, Sony, Samsung e afins, na intenção de vender seus processadores, sensores de imagem e memórias, entram na jogada como parceiras da fabricante dita como ‘principal’.

    É por isso que o iPhone, por exemplo, tem memórias, displays, câmeras e sensores produzidos por terceiros e não pela própria Apple.

    Em determinados casos, a fabricante em questão pode até desenvolver o componente, porém, na grande maioria das situações, uma terceira será a responsável pela produção da peça.

    E o que sobra para as fabricantes,
    então?
    Samsung-Galaxy-S8-Release-Date.jpg
     

    Resumidamente falando: o conceito e a logística. A fabricante será responsável por todo o valor agregado a aquele produto, o que inclui a marca e o seu valor, o design, os recursos exclusivos, a distribuição do produto, os testes de qualidade, o suporte pós-compra e, principalmente, o marketing envolvendo aquele lançamento.

    Em determinados casos, a fabricante também será responsável pela produção de determinadas peças do aparelho, mas isto não é uma regra.

    Normalmente, empresas como a Samsung e LG, que possuem suas próprias divisões de tela, por exemplo, realizam negócios com suas subsidiárias, o que mantém o dinheiro em movimento, mas sempre dentro da mesma empresa.
    lg-curved-edge-display-1.jpg
     

    A LG Display produz telas para smartphones LG e para produtos Apple, também

    Por outro lado, smartphones embarcam uma série de componentes diferentes e nem sempre a fabricante em questão também os produz. Noutros casos, ainda acaba sendo mais barato comprar de terceiros do que ‘de si mesmo’.

    Um bom exemplo deste fenômeno é a própria Samsung, que divide a produção dos sensores de imagem dos seus aparelhos entre uma companhia terceira, a Sony, e sua própria divisão de sensores, a ISOCELL. Determinadas regiões recebem smartphones com câmeras ISOCELL, enquanto outros países, por sua vez, recebem câmeras da Sony em seus aparelhos.

    E sim, as câmeras são idênticas.
    Galaxy-S8-15.jpg
     

    Isto acontece por vários motivos, mas principalmente por causa da região onde aquele smartphone será vendido. Em uma fábrica do Brasil, por exemplo, pode ser muito mais caro importar componentes Samsung da Coréia do Sul ou China. Nestes casos, acaba sendo mais viável comprar de produtores locais (ou mais próximos).

    Com isso, a grande maioria das fábricas não produz praticamente nada, apenas monta e distribui. No caso do Brasil, que é pouco expressivo na indústria de semicondutores, as fábricas de alta tecnologia costumam receber os chips, sensores e as demais peças completamente prontas.

    O trabalho dessas ‘fábricas’ é unir estas peças num aparelho funcional e de qualidade.

    Testes e homologação
    iPhone7anatel.jpg
     

    Depois que a fabricante analisa todos os custos e projeta toda a infraestrutura de produção, o que inclui selecionar parceiras, preparar fábricas – e acima de tudo: ter o produto idealizado e projetado, o que há de se fazer é produzir as unidades de protótipo e testá-las.

    Este processo é um intermediário entre o desenvolvimento e a produção final. A companhia deve realizar uma série de testes com aquilo que concebeu e, nos países que possuem um órgão regulador, homologar a produção daquele produto.

    samsung-galaxy-s8-prototype.jpg
     

    É nesta fase que algumas ideias (como essa acima) infelizmente são abandonadas

    Os testes deste processo não devem ser confundidos com os chamados ‘testes de qualidade‘, feitos na fase de produção do aparelho. Nesta fase, o que será testado não é a qualidade do processo de fabricação, mas o bom funcionamento do projeto.

    Em suma, esta é a hora em que se vê se o tudo aquilo que foi imaginado para o modelo é realmente aplicável ao mundo real e suas condições mais adversas.

    É neste momento que a fabricante testa se o componentes vendidos por parceiras funcionam em todas as regiões onde o produto será comercializado; se aquele determinado modem é realmente compatível com as bandas de rede utilizadas num país.

    E os vazamentos?
    Samsung-Galaxy-Nore-7-prototype-2.jpg
     

    Durante os testes, as companhias também costumam disfarçar os seus protótipos

    Também é neste processo que os vazamentos têm mais chances de surgir. Se levarmos em conta que os protótipos costumam ter boa parte dos componentes e características do modelo final, dá pra entender o porquê de tantos aparelhos vazarem nesta fase.

    Após analisar se os materiais e componentes selecionados funcionam bem na prática (em várias regiões do mundo, sob várias condições térmicas, umidade e sob vários tipos de uso), o aparelho segue para ter a sua validação registrada no mercado.
    Anatel-iPhoneSE.jpg
     

    No Brasil, isto acontece por meio da Anatel.

    Apesar de tratar especificamente do que tange a telecomunicação (e dos riscos envolvendo esta parte de um telefone), a Anatel exige uma série de requisitos para que um smartphone ou outros equipamentos dotados de telecomunicação sem fio sejam regulamentados e aceitos no Brasil.

    Produção e distribuição
    DGAVgMGAxYvp2uIK.jpg
     

    Chegamos a última fase da produção de um smartphone. E por mais que ela pareça ser a mais complexa, os processos de montagem costumam ser relativamente simples. Para isso, as companhias investem em automação e equipamentos de ponta – menos complicação, menos chances de algo dar errado.

    Na maioria das cadeias de produção, inclusive nas que operam no nosso país, em Manaus, grande parte do trabalho é feito da forma como citamos antes: nenhum componente é realmente fabricado dentro da fábrica (por mais irônico que isso soe).
    iphone_production.jpg
     

    Em casos como os da Foxconn, na China, boa parte da produção envolve trabalho humano também

    Sem nenhum chip acoplado, a placa-mãe é a primeira a fazer parte da montagem: robôs e máquinas extremamente precisas posicionam o material de solda em pontos específicos e que, mais tarde, dentro de um forno, permitirão a fixação de cada um dos chips, sensores e demais conexões em seu devido lugar.

    Este processo precisa ser automatizado e simplificado, pois evita despesas e aumenta a capacidade de produção.

    No caminho para o fim da linha de montagem, outras partes do smartphone serão acompladas, como chassi que abriga a placa, agora com todos os seus componentes, o vidro frontal, junto do display, e, por fim, a carcaça que envolve tudo isso.

    Aos poucos, o que era só uma chapa de circuitos vai virando o que é um smartphone de verdade. Minutos depois, o aparelho está praticamente pronto.

    Testes de qualidade
    iPhone-5s-production-image-001.jpg
     

    Em seguida, nos testes de qualidade, os aparelhos são ligados e operados num sistema que permite testar todas as funções essenciais rapidamente.

    Uma única interface permite testar a câmera, os botões, o touchscreen, os alto-falantes, a vibração, a exibição de diferentes cores na tela e outros recursos, que não necessariamente existirão em todos os smartphones.

    Se tudo for constatado como ok nesta fase, é muito provável que, numa linha de produção comum, este aparelho já siga para os processos finais da montagem, recebendo a sua identificação (etiqueta com informações do número de série e afins), e, posteriormente, a sua embalagem.

    Incrível todo o processo de se fazer um aparelhinho desses, não é?
    samsung-gumi-factory-worker-with-galaxy-s5-1.jpg
     

    É claro que não há como abordar toda a minuciosidade do processo de fabricação tão complexo como esse, seja porque demoraríamos uma eternidade para falar de tudo, seja porque as etapas podem variar de acordo com o modelo do eletrônico em questão.

    Para coletar todas essas e as demais informações que cercam a produção de um smartphone, o Showmetech esteve essa semana com o Renato Citrini, gerente de produtos da Samsung Brasil.

    Durante uma entrevista bem divertida, ele nos contou um pouco mais sobre todo o trabalho de produzir um aparelho do zero e entregá-lo nas suas mãos.

    Dá uma olhada:

     


    Fonte: showmetech

    • 0
      Publicações
    • 0
      Comentários
    • 186
      Visualizações

    Blog sem publicações

  • Informações sobre a vida do fórum

    28-02-2017 22:09
    Data da criação do fórum
    1 ano, 1 mês, 18 dias, 13 horas e 45 minutos
    Fórum existe

SOBRE O ELETRÔNICABR

EletrônicaBR é o melhor fórum técnico online, temos o maior e mais atualizado acervo de Esquemas, Bios e Firmwares da internet. Através de nosso sistema de créditos, usuários participativos têm acesso totalmente gratuito. Os melhores técnicos do mundo estão aqui!
Técnico sem o EletrônicaBR não é um técnico completo! Leia Mais...
×